Projeto potencializa gestão e planejamento turístico no Seridó do RN

Com incontáveis potencialidades e riquezas histórico-culturais, o Polo Seridó é um verdadeiro circuito turístico no sul do Rio Grande do Norte. Composto por 25 cidades, 12 delas estão incluídas nas ações do Projeto de Inventariação Turística da Faculdade de Engenharia, Letras e Ciências Sociais do Seridó (Felcs/UFRN).

O objetivo é levantar informações sobre dados turísticos para fortalecer o planejamento e a gestão dessa atividade nas comunidades locais.

O trabalho teve início no mês de maio e já realizou ações em Lagoa Nova e São José do Sabugi. A próxima cidade a ser beneficiada, no período de 1º a 3 de julho, é Carnaúba dos Dantas.

A iniciativa integra o programa de extensão Qualistur, fundado em 2018 e responsável pela promoção de sete projetos estruturantes e duas ações permanentes. O esperado é que até novembro deste ano os 12 inventários turísticos sejam concluídos, formatados e entregues em forma de produtos técnicos de extensão tanto nos municípios quanto no repositório institucional da UFRN. Fora Carnaúba dos Dantas e os municípios que já receberam a equipe do inventário, estão contempladas as cidades de Jardim do Seridó, Acari, Parelhas, Florânia, Caicó, Cerro Corá, Serra Negra do Norte, Jucurutu e Currais Novos. Todas estão dentro do Mapa de Turismo Brasileiro.

O processo segue a metodologia de Inventariação Turística criada pelo Laboratório de Pesquisas e Estudos Turísticos (LAPET). Baseada no modelo criado pelo Ministério do Turismo, ela apresenta as seguintes categorias: A – Informações gerais; B – Empresas e equipamentos turísticos;  C – Atrativos Turísticos; D – Comércio Turístico; e E – Compras especiais no Turismo. As três primeiras foram preservadas da versão original e as duas últimas acrescentadas pelo LAPET. Além disso, os formulários receberam novas perguntas e outras foram retiradas.

No caminho para o desenvolvimento do turismo regional, o projeto de Inventariação Turística, marcado pelo êxito metodológico e articulação com as populações locais,   também enfrenta alguns desafios. Entre eles, o professor chama atenção para as preocupações que acompanham o cenário da pandemia e resultam na rígida adoção dos Protocolos de Biossegurança da UFRN. Além disso, é considerada a segurança sanitária de cada cidade a ser visitada, a fim de assegurar tanto a proteção da equipe quanto dos habitantes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.